RECEPTOR DE TV VIA SATÉLITE ESQUENTANDO MUITO. É NORMAL OU PROBLEMA?

Placa De Circuito Ardente Do Fogo Com Eletrônico Foto de Stock - Imagem de  dispositivo, equipamento: 104687230

O Artur enviou a seguinte pergunta via facebook:

Boa noite Richard. Meu nome é Artur e a algum tempo atrás te envie uma pergunta via e-mail que foi muito bem respondida e com esse calor que tem feito aqui no RS me surgiu outra dúvida e gostaria que você tirasse minha dúvida e que com certeza deve ser a dúvida de outras pessoas. Vejo em grupos no facebook e no whatsapp que o pessoal que tem receptor alternativo sempre faz um comentário no verão principalmente, porque eles reclamam que o receptor esquenta muito.
Será que o receptor homologado da operadora esquenta assim também? qual o motivo do superaquecimento desses aparelhos?

O aquecimento dos receptores de tv via satélite, principalmente os alternativos, é coisa de longa data, me lembro que houve uma época em que o pessoal começou a se interessar em instalar ventoinhas de computador sobre as peças que mais aqueciam nos receptores de satélite pois, principalmente os modelos mini, aqueciam demais.

Antes de mais nada é importante ressaltar que os projetos para este tipo de aparelho – que passam muitas horas do dia ligados e que, pelas características da tecnologia, contém peças que aquecem demasiadamente – levam em conta a questão do maior aquecimento de seus componentes e são projetados para serem – ou pelo menos deveriam ser – bastante resistes ao aquecimento e resfriamento diário destes componentes.

 

Sim, o resfriamento neste caso também conta pois ele também pode provocar problemas tanto físicos (como o rachamento e a dessoldagem das peças), quanto químicos (como o vazamento e até mesmo a explosão de elementos químicos em encapsulamentos muito frágeis), à medida que a peça vai aquecendo e resfriando e então se tornando mais frágil durante o passar do tempo de vida útil dela.

Como exemplo de aparelho resistente podemos citar os receptores SD da Sky que, depois de anos de uso continuo na casa dos assinantes da Sky, foram vendidos como parte do kit Sky Livre e permanecem funcionando em sua grande maioria até hoje, podemos contar aí uma média de 12 anos de vida e estes receptores continuam firmes, funcionando.

E por qual motivo eles resistem tanto tempo, mesmo sendo aparelhos que também aquecem bastante durante o uso? Simples, as operadoras de tv por assinatura precisam investir em equipamentos mais robustos, que suportam muito tempo ligados sem apresentar problemas pois seria um prejuízo muito grande ter que ficar trocando receptores na casa de seus assinantes, que no casa da Sky, são mais de cinco milhões.

 

Jà pensou se a Sky precisasse trocar os receptores de todos os seus assinantes a cada dois anos? Seria uma operação de altíssimo custo, envolvendo uma grande cadeia de produção e serviços, que iria desde os fabricantes de receptores, a questão da homologação e legalização dos aparelhos aqui no Brasil até a distribuição e instalação na casa de todos os assinantes. Um pesadelo e muito dispendioso. É por esse motivo que as operadoras adquirem receptores são projetados de maneira superdimensionada em relação à suportar à carga de trabalho durante a sua vida útil.

vamos agora pensar do lado dos receptores alternativos, não homologados ou seja lá como o pessoal os gosta de chamar.

A “pegada” para este tipo de aparelho é outra, totalmente diferente dos receptores originais das operadoras de tv.

No início eles até eram aparelhos bastante robustos, com alta qualidade de construção, basta pensar nos primeiros equipamentos da marca Azbox que vinham da Europa e eram fabricados em Portugal pela detentora da marca. Eram receptores de qualidade similar aos originais das operadoras, em se falando de qualidade peças e do projeto em si. Mas logo o mercado foi invadido por muitas outras marcas, principalmente vindas da China, e todos entenderam que o brasileiro não estava acostumado e nem muito interessado naquela qualidade toda de equipamento, já que os equipamentos nacionais eram bem mais simples (em termos funcionais), àqueles primeiros receptores não homologados vendidos no mercado latino americano.

As marcas que queriam manter um nome logo se desfizeram (Azbos entre elas) e o mercado adotou a estratégia dos aparelhos de mais baixa qualidade, com tempo de vida útil menor, assim também obrigava o consumidor destes aparelhos a trocar o receptor de tv de tempos em tempos, o que é um dos objetos comerciais das marcas de receptores para tv pirata – eles precisam disto para lucrar não é mesmo?

O aquecimento é um dos maiores vilões dos receptores de tv via satélite não homologados, as peças destes aparelhos, que agora em geral não são tão confiáveis quanto antes, não suportam a estafa de aquecer demais durante horas e horas de uso diário. Aquele cheirinho diferente que alguns produtos made in china de menor qualidade soltam quando ligados e aquela temperatura de fritar ovos ao colocar a mão no aparelho, não são assim tão normais, apesar de, na maioria das vezes, não matar os aparelhos de imediato, mas já servem de aviso de que o uso dele não será tão longínquo quanto o de um receptor Sky Livre, por exemplo.

Aliás, vale aqui deixar um alerta, superaquecimento não é normal para nenhum aparelho. Donos de notebook que o falem, começou a aquecer demais ele vai dar problema nas soldas em alguns poucos meses, às vezes poucas semanas, provocado pelo aquece/resfria do (ou dos) processadores do notebook.

Locais que tem muita poeira só pioram a situação, como locais mais insalubres e com maior índice de elementos químicos no ar.

Jà foi conselho meu aqui há alguns anos, para quem tem aparelho com processadores que aquecem, usem dissipadores, os melhores possíveis para os seus aparelhos, em geral eles custam barato e dão um ótimo resultado ao prolongar a vida útil dos aparelhos. Os técnicos de montagem de computador são bons conselheiros para a colocação de dissipadores em seus receptores.

Há uma coisa que eu gosto, quando o aparelho aquece muito, que é usar a parece como dissipador. É sério, por exemplo, o computador que estou usando no momento é um Mac Mini Late 2012, já antigo mas que ainda dá pro gasto, mas ele começou a superaquecer. Como ele é construído com um gabinete em alumínio (veja fotos dele na internet pois ele é bem diferente de um computador normal que você conhece), eu tirei a tampa da parte de baixo dele, expondo as peças, coloquei uma ventoinha que fica ventilando para dentro dele o tempo todo e grudei, isso mesmo, grudei ele na parede, que está sendo um excelente dissipador, ele simplesmente parou de aquecer, e olha que roda alguns programas gráficos que de vez em quando fazem o processador trabalhar como louco.

Você aí, como seu aparelho, pode ir tomando medidas que evitem que ele aqueça, como não colocar outros aparelhos ligados junto a ele, empilhado com ele então nem precisa dizer, é pedir para os dois aparelhos darem problema.

Outra boa medida, como dito, é instalar dissipador e se possível ventoinha (cooler). Você encontra coolers com excelente fluxo de ar e bastante silenciosos. Novamente, recorram à técnicos de informática que tem essas peças sobrando aos montes, fruto de desmonte de computadores e notebooks, e pechinchem.

Seus aparelhos, bem resfriados, vão agradecer por ganharem uma sobrevida.

 

fonte: https://gps.pezquiza.com/receptores-2/receptor-de-tv-via-satelite-esquentando-muito-normal-ou-problema/

Siga-nos nas redes sociais.

 

Compartilhe!



Portal Zeamerica